" A Felicidade está para aquele que vê o seu semelhante com os mesmos olhos
         que vê a si mesmo "

                                                                                                  Mestre Jesus





 

Meditação

imgtopo3_4f3410d428ac1.jpg
Meditação

A ciência baseava-se nas teorias de Newton, ao observar que todo o universo tinha movimento através de um magnetismo, da eletricidade, e de outras várias manifestações de energia, mas ficou-se na época a dúvida dos movimentos das estrelas. E com Einstein, definiu-se então o conceito de que o universo é curvo. A partir dele, a ciência retomou os conceitos velhos, como o da energia e "a Física resgatou para o conhecimento ocidental a equivalência entre matéria e energia: para ele, matéria é energia em estado de condensação, e energia é matéria em estado radiante. A partir disso, a Física se colocou como uma ciência que estuda transformações da energia." (Freire)

Saindo do velho e entrando no novo, os conceitos definidos pela ciência foram se dissolvendo com o tempo, à partir deste momento a nova consciência foi surgindo, o rádio, o raio x, etc, movidos por ondas, e descobriu-se que tudo era possível, e tudo passa-se a ser definida como energia, desde a voz humana até as combinações químicas, quebrando assim o conceito mecânico, principalmente a do homem. Definido, portanto, o homem um conjunto de mecanismos que o anima e rege o organismo vivo através dos átomos, moléculas, tecidos e órgãos, formando assim o corpo que é a energia concentrada.

Portanto, "o organismo do homem capta e libera energia da terra, do ar e do cosmo, fazendo circular no corpo através dos condutores sensíveis que se espraiam por todo o organismo.'

Na China, por volta de 1812," os chineses espetavam suas agulhas em pontos especiais com o objetivo de dirigir energia. Segundo eles, a energia vital, presente em todas as partes, não é outra senão a energia cósmica, e circula no organismo através de condutores que eram chings, e que nós denominamos meridianos". No qual percorre pelo tronco e vão se ligando aos membros internos, neste percurso estão situados a concentração dos pontos de energia circulante distintos denominados por eles em dois aspectos distintos de YING E YANG (negativo e positivo/ matéria e energia/ repouso e atividade), onde utilizam para equilibrar o campo energético, pois para eles a doença nada mais é do que o desequilíbrio desses pontos, hoje utilizados pelos acupunturistas para esse equilíbrio.(Freire)

Definindo meditação; segundo Trigueirinho; "estado interior que, permeando a consciência externa do ser humano, lhe permite contatar a vibração do nível da alma e de outros mais além. Não pode ser provocada por meios externos; surge espontaneamente quando a personalidade está desobstruída dos obstáculos mais grosseiros à influência de energia interna".

A finalidade da meditação é preparar o praticante e dar-lhe as condições básicas para atingir a realidade máxima, ou seja, aquele que realiza a meditação transcende a existência material e atinge uma nova dimensão do ser. A mente é considerada como o elo entre a estrutura da matéria e o espírito. Todas as etapas que precedem tem como fim único a superação das necessidades e paixões causais e o desenvolvimento dos valores de caráter superior e espiritual. A meditação pura serve como um processo para cristalizar e refinar alguns estágios e também desenvolver a supraconsciência, isto é; quando o ser humano se coloca a serviço do TODO, obstáculos pessoais e necessidades intelectuais de definições desaparecem e esse estado desconhecido aproxima-se de sua consciência.

O homem possui em seu interior uma grande força e um poder que, se despertados, dão-lhe todas as condições de uma real evolução espiritual, através de seus próprios esforços, dentro dos planos da mente superconsciente. Uma vez desenvolvida e iniciada, deve ser praticada constantemente, mas sempre sob as condições requeridas para tal.

A meditação não deve envolver esforços, pois ela é uma decorrência natural da concentração em um estágio profundamente avançado; como tal, e pelas suas próprias características, nada exige do praticante, do físico, ou mesmo do mental, porque, pelo desenvolvimento das etapas práticas que a precedem, a mente já foi submetida a todo um processo de treinamento profundo, da mesma forma que o corpo, e pode agora, nesta fase, atuar sem qualquer tipo de sacrifício ou esforço por longos períodos, daí advindo profunda sensação de tranqüilidade, paz e também harmonia espiritual.

Práticas: 
Toda Sexta-Feira - Das 09:00 às 09:45 hrs
Professora Julieta